sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

O Campo nosso de cada dia


O Campo nosso de cada dia

Ei menina
Acorda, ou melhor, não durma!
Hoje tem campo
Tem rede pra armar

Ei menina
Pera um pouquinho, pára
O que você quer?
Pilha, relógio, perneira?

Avança no mato
O sol se deita e rola
Viu como é fácil?
O enredo se desenrola

Disseram que não conseguiria
Ora ora
Olha para ela
Tirando o bicho a uma hora!

É um, é dois, é trinta
Passou
A Segunda revisão zerou

Mas na terceira quem diria
Só caiu uma Sturnira!
Beija flor, udu, soldadinho
Segura, por favor, esse pézinho?

Agora mede, pesa, marca, solta
Quem sabe amanhã ele volta?
Pisca, pára, assovia
É o campo nosso de cada dia!





sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Como os morcegos dão à luz



Oi Pessoal!

Como primeiro post desse ano resolvi falar sobre uma das perguntas que mais me fazem em relação aos bats: Como as mães parem seus filhotes???

Em vez de escrever um texto sobre isso.. resolvi deixar as imagens falarem e traduzirem o lema básico da sobrevivência: Não é fácil para ninguém! 

Deveríamos nos inspirar por imagens como essas.. pense como a morcega sofre carregando esse filho, voando com ele por aí! 

Uma das minhas capturas mais tensas foi justamente quando uma mamãe Carollia (morcego frugívoro) e seu filhote se enroscaram na rede. Me senti péssima de ter feito os dois passaram por uma situação tão estressante. Quando soltei os dois, o filhotinho agarrado nas costas da mãe e ela voando esforçada e lindamente pela escuridão.. foi um alívio e fascinação tremendos.

E toda vez que vejo uma morcega grávida penso a mesma coisa: ela consegue! Que linda! Que bola redonda e peluda voando por aí..
 As morcegas sofrem. E voam em frente.