quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Fim do semestre: Dicas de Segurança para seus arquivos em tempos de contágio e dano físico

Dói no coração pensar que meu HD foi corrompido em um momento de alta produtividade e poucas cópias de segurança. Um belo dia, em uma das minhas viagens, meu notebook (a bela Safira) estava guardado no compartimento de cima do ônibus. Infelizmente,  as múltiplas curvas da estrada arremessaram minha mochila contra o chão, causando danos irreversíveis no meu HD e à minha cabeça! Também o fato de colocar o notebook em constantes pequenos choques, ao levá-lo do colo para a mesa, da mesa para o colo e mochila,  danificam pouco a pouco seu HD. Então não subestime a gravidade e sempre mova seu laptop cuidadosamente, evitando ao máximo qualquer tipo de choque físico.
Atenção você, da graduação ou da pós, que anda com seu pequeno pen-drive de 4GB por aí, o colocando em qualquer computador que abra word, CUIDADO. Não confie no seu pendrive, não confie no Pen drive do seu amigo, não confie nem no seu antivírus freeware! O mundo virtual se tornou altamente vulnerável a contágios e danos físicos, principalmente quando falamos de dispositivos móveis como notebooks, HDs e afins.
Estamos em tempos de contágio com os vírus Autorun que destroem seus dados e se multiplicam invisivelmente. Então, prefiram trocar e compartilhar arquivos pequenos por email ou dropbox!
           Ainda duas dicas importantíssimas, proferidas pelo meu orientador logo no início do mestrado: Tenha dois backups físicos (HDs externos ou CDs), mais um na nuvem (Google Drive ou Dropbox) além do original no seu dispositivo de trabalho mais comum (PC: Personal Computer).
Eu sei que fica uns 200 reais ou mais comprar um HD externo, mas compre! Ainda mais se você trabalhar com dados espaciais, que costumam ultrapassar duas casas dos Giga facilmente!
Esse post é um conselho válido para todos e um reforço para mim mesma, o que me levou a criar o BACKUP day. Sim, em tempos de pré-defesa, pré-tcc os backup days são cotidianos.

Mas é necessário que haja um BACKUP day regular para todas as suas pastas: documentos, imagens, música, vídeo! Para facilitar, date seus arquivos em um formato padrão para não se confundir entre pastas do mecanismo fixo de trabalho (PC) e os backups. Nem sempre você poderá confiar na data de modificação dada pelo Windows em “propriedades” do arquivo. Isso porque muitas vezes você já terá modificado o arquivo no momento do necessitado backup e a data mudará para a data atual e o confundirá com o arquivo original, a menos que você decore tudo o que ele contém ou seu tamanho anterior.

No LEEC fazemos o seguinte para nomear arquivos, nas palavras do Prof. Milton Cezar Ribeiro:

Imaginem quantos arquivos deve receber o nome “apresentacao.ppt”, “relatório.doc”, “texto1.doc”, “joao_resumo.doc”, e por ai vai. Agora imaginem como é complexa a administração disto para quem, por exemplo, recebe toda sorte de arquivos, alguns indo e vindo com várias versões, sem uma identificação eficiente do que se trata, quem é o envolvido, cronologia, versões, etc.

Por conta disto, gostaria de estimular (claro, apenas sugestão), que quando forem dar nomes em arquivos, usem algo que identifique o assunto, envolvido, e em data cronologica no formato ano-mes-dia (dia-mes-ano não adianta).

Exemplos:
    Projeto_IC_Camillo_2012_02_D02.doc
        Vejam que tem que usar DOIS dígitos para o dia e para o mês
        Vejam que o 02, sem o D na frente, não dá pra saber se 02 é de dia ou de mês, mas com D já indica Day!
    Nicolas_Resumo_Congresso_Paisagem_2012_02_D01.doc

Caso vocês usem
        Projeto_2_2_2012.doc (2 de Fevereiro)
        Projeto_11_2_2012.doc (11 de Fevereiro)
    O Windows vai tratar o 11 como vindo antes do 2, pois o primeiro digito 
“1” do “11” vem antes do digito “2”.
Isto quer dizer que se nao usarmos os DOIS dígitos quando o numero
for <10, a ordem ficaria  1,10,11,12,2,3,4...

Simples, não? Isso vale para uma rotina de organização que facilitará muiiito suas vidas!

Abraços e espero ter sido útil,