domingo, 3 de fevereiro de 2013

Inspirações


Mais um da série campo poético:


Ode ao Artibeus

O Artibeus cai, inveterado
De embaúba muito bem alimentado
Foi voar justo ao lado
Desta rede um tanto acaçapada

Ó Artibeus, porque se mexes?
Tanto chacoalhas, enlouqueces
Emaranhas
E me arranhas

Choras como nato
me testas a paciência
um grito e Condescendência!

Nesta noite tranqüila e Além
Que tudo afague, bem acabe
E o Artibeus também.