quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

A passagem: Despedida!

Oi Pessoal, esse post é o post de despedida de 2012.

Embora saibamos que temos muito o que fazer.. terminar relatórios (ou começá-los!), capítulos, campos, resumos, logísticas... sabemos também que esse clima de final de ano está no ar.. e é CONTAGIANTE!

Sim, já imagino o gosto do panetone de manhã... no qual eu faço questão de passar margarina pra ficar ainda mais gostoso.. e depois molho ele no café e penso: o ano acabou =D , fiz a minha parte.

Que em 2013 aprendamos muito mais. 2012 foi épico, foi desafiador, foi revigorante, foi ver o impossível com outras lentes.. as lentes da transformação!


Meus campos de 2012 acabaram, e o último campo foi um campo de ampla meditação, auto-conhecimento e tranquilidade. Cada campo, uma nova epifania. A noite é mais escura logo antes do amanhecer.

Um abraço a todos os leitores do blog, biólogos, ecólogos, pós-graduandos e graduandos guerreiros querendo entender a complexidade da vida de das secretarias de pós! 

Finalizo com uma frase do mestre Yoda, muito bem lembrada pelo meu amigo Pavel Dodonov:



“Try Not, Do,  or do not… there is no try.”

Boas Festas!


segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Automarket do pós-graduando

Oi Pessoal!

chega um momento em que você se vê especializado em uma área ínfima perto de toda amplitude que as Ciência aborda. Nesse momento você se reconhece e é chamado (por si mesmo ou por seu orientador) a dar a cara a tapa dando aulas, cursos e palestras.


No meu caso, minha primeira palestra foi em 2008 e a aula foi dividida com uma amiga minha, a Luciene Rossi.. Como amávamos borboletas, resolvemos falar em uma hora sobre as centenas de milhares de borboletas que existem rsrs...


Foi muito legal fazer aquela palestra. E foi aí que eu vi que curto muito dar aula! Hoje não me atrevo a falar sobre borboletas mais a fundo, mas a
proveitando a deixa, quem estiver atrás de alguém para ministrar palestras e cursos, eis os temas que posso apresentar:


Palestras que eu posso apresentar:
-Introdução a Ecologia de Paisagem
-Pescaria Noturna: métodos e sucesso de amostragem de morcegos
-Mamíferos no Cerrado
-Interações entre morcegos e plantas
-Introdução à Ecologia do Movimento
- Teoria de Redes em ecologia do mutualismo
-Morcegos: de vilões a mocinhos em 30 minutos
-Ecologia Espacial e Conservação da Biodiversidade
- Limiares ecológicos

entrem em contato! Quem quiser fazer parcerias e montar cursos, bora lá..

renatamuy@gmail.com






domingo, 28 de outubro de 2012

Desabafo ao pós-graduando: Tenha uma vida



Olá pessoal,

depois de dois meses de sumiço, volto falando sobre "além do ser pós-graduando". 
Esse desabafo foi escrito na verdade no começo do ano, mas ele é basicamente atemporal, principalmente quando observamos o comportamento e angústia dos pós-graduandos.

Sou uma bióloga de coração mole e não preciso ser aquela que 24 h por dia falar/vive/trabalha sobre/a/com ecologia da paisagem e morcegos, embora tudo isso seja muito legal.

No final do post aproveito para mostrar um texto que o amigo Felipe Ribeiro me enviou em um dia muito triste. Espero que esse post incite você, pós-graduando, a refletir sobre seu próprio bem-estar e dos seus entes queridos.


Desabafo ao pós-graduando: Tenha uma vida

Eu sou mais uma no mundo.
Quando entrei na graduação tinha grandes ambições. Achava que se eu trabalhasse muito, seria uma fodona da ciência e todos meus problemas estariam acabados. Agora, depois de tantas chacoalhadas e engolidas de sapo, vejo as coisas por um outro ângulo.
É claro que não se trata de cuidar do jardim científico e deixar que as borboletas do financiamento venham até você. Se trata de um embate fisiológico. É sobre bem-estar. É sobre sentido da vida.
É sobre querer ou não competir consigo mesmo.
É sobre querer vencer etapas e ao mesmo tempo não querer que isso fosse tão importante para si mesmo. Então é sobre orgulho também.
É sobre dúvida.
É sobre querer ser um jovem despreocupado. É sobre se preocupar demais.
É sobre não conseguir se desligar de um trabalho.

É sobre ser seu trabalho 24 h por dia.

É sobre esquecer-se que a vida pessoal importa. É sobre lamentar-se...
É sobre não ter clareza e paz de espírito.
É sobre conseguir ou não curtir a viagem.. curtir o caminho trilhado.
É sobre querer fazer diferente e ser mais humana.
Ei, existe um mundão lá fora, que não tem nada a ver com a sua pesquisa!!!
Existem pessoas e sentimentos.
Existe vida além do CNPq, mestrado, delineamento experimental, orientador, burocracia e falta de financiamento!
Garota, você tem que se livrar disso! O que realmente importa? Quem vai te dar um beijo ao final de uma semana dura de trabalho?
Eu nunca quis tanto ser normal! E eu vou fazer tudo direito!
Eu quero ter segurança!
Eu quero não me sentir culpada se as coisas derem errado!
Eu não quero fazer mais do que eu deveria!
Eu quero ser reconhecida pelo meu esforço, sem ter que deixar de ter uma vida boa!
Eu vou ser feliz!"


·         ‎"Ei! Sorria(...)
Viva! Tente! A vida não passa de uma tentativa.
Ei! Ame acima de tudo, ame a tudo e a todos.
Não feche os olhos para a sujeira do mundo, não ignore a fome!
Esqueça a bomba, mas antes, faça algo para combatê-la, mesmo que se sinta incapaz.
Procure o que há de bom em tudo e em todos.
Não faça dos defeitos uma distancia, e sim, uma aproximação.
Aceite! A vida, as pessoas, faça delas a sua razão de viver.
Sonhe! Mas não prejudique ninguém e não transforme seu sonho em fuga.
Acredite! Espere! Sempre haverá uma saída, sempre brilhará uma estrela.(...)
Chore! Lute! Faça aquilo que gosta, sinta o que há dentro de você.
Ei! Ouça... Escute o que as outras pessoas têm a dizer, é importante."


terça-feira, 14 de agosto de 2012

O Símbolo do Biólogo


O Símbolo do Biólogo



Pessoal! Daqui a menos de 1 mês é o dia do Biólogo..seja ele autônomo, estudante, pós-graduando, professor e pobretão, mas principalmente honesto! Nesse tempo vou colocar posts falando sobre nossa profissão sob várias perspectivas! 

Abaixo informações (retiradas do CF Bio) sobre o símbolo da nossa profissão:

A Forma 
Começando pela forma que foi utilizada como base para os elementos: o círculo. Na simbologia das formas, representa a união e perfeição, daquilo que começa e acaba em si mesmo. Assim, ele condiz com a proposta do próprio Conselho Federal de Bio, somando e interligando valores, laços e vínculos entre os profissionais representados por essa instituição. Também representa o movimento, a atividade, reproduzindo a busca por melhores dinâmicas entre as relações dos biólogos.

Os Elementos 
• O DNA - A estrutura do DNA traz à tona um elemento sempre presente no cotidiano do profissional da área de biologia. 

• O Espermatozóide - A base da estrutura do DNA forma um espermatozóide, que fecundando o óvulo (círculo azul) dá origem a uma nova vida, com toda sua complexidade – a essência da profissão do biólogo.
• A Folha - Fator de grande importância para qualquer ser vivo, sendo a base dos estudos biológicos, a natureza é representada pelas folhas da base do círculo. 
• A Espiral - Se encontra dentro das folhas, é o símbolo da evolução e do progresso. O biólogo sempre deve buscar novos estudos e pesquisas que possam atualizar seus conhecimentos e acrescentar informações úteis a sua profissão. Esse elemento também possui uma interpretação mais subjetiva, podendo ser traduzido de diferentes formas, como por exemplo, a representação de um caracol ou da asa de uma borboleta, mostrando a interação do biólogo com a biodiversidade e o Planeta, na busca de sua conservação, manejo e sustentabilidade.

As Cores
• O azul - Usado de forma mais clara no círculo, é uma cor profunda e calma, que a princípio, representa a água, mas que também passa a idéia de maturidade. O azul também é a cor da biologia. 
• O verde - Usado nas folhas. É a cor universal para a representação da natureza, passando a idéia de frescor, harmonia e equilíbrio.
O símbolo traduz conceitos que envolvem o cotidiano do biólogo e também a importância da vida para essas profissionais. Ao agregar valores de união e evolução à marca CFBio, busca-se demonstrar a forma dinâmica e proativa de relacionamento do Sistema CFBio / CRBios com o biólogo e a sociedade.


Nossa... essa parte de união e bom relacionamento dos Biólogos com o CR-Bio não colou... rsrsrsrs....


sexta-feira, 27 de julho de 2012

O primeiro campo a gente nunca esquece.. e uma propaganda para ornitólogos e morcególogos de início de carreira


Olá!

Campo é a melhor parte do trabalho. Sim, é verdade. E sim, biólogos devem ir a campo porque gostam. Toda vez que eu volto de um campo, geralmente no caminho de volta (no ônibus, avião ou nave interestelar) eu penso “Cara, to na profissão certa!”. Bom chegar a essa conclusão e reiterá-la a cada dia. Assim sendo, acredito que a chance de eu me arrepender de ter feito Biologia é zero.


Acabo de voltar do meu primeiro campo oficial do mestrado. O Meu projeto Fapesp (uhu!) “Diversidade de morcegos em paisagens de Cerrado: existe um limiar da fragmentação?” será executado com em parceria com o projeto de doutorado do premiado Gilberto Sabino-Santos Jr “Detecção de hantavírus e avaliação de spillover em pequenos mamíferos silvestres não voadores, voadores e em seus ectoparasitas” (Lattes). Estamos unindo a Ecologia com a Virologia!
  

Aqui nesse post aproveito para reiterar uma opinião que eu tenho desde que eu comecei a trabalhar com morcegos. Se você tem grana, compre aparelhos da Ecotone http://www.ecotone.pl para suas capturas. Você não vai se arrepender.
Tanto as hastes quanto as redes-de-neblina da Ecotone são as melhores!

Essas hastes da foto particularmente são excelentes! 

Até breve! Finalizo com uma foto de Platyrrhinus lineatus, o  segundo morcego mais fofo do Universo.








domingo, 24 de junho de 2012

Biologia tropical e Conservação

De volta do ATBC 2012. Energias renovadas!


O encontro da Associação para Biologia Tropical e Conservação (ATBC) conseguiu agregar cientistas de 48 nações diferentes, tivemos oportunidade de conversar com pesquisadores da Indonésia, Honduras, França, EUA, México, África do Sul, foi incrível!

E a discussão sobre as questões ambientais foi de alto nível, recomendo fortemente que voces leiam a postura e resumo da ópera da ATBC e do ATBC 2012 nessa carta abaixo. Que ela nos sirva de diretriz e inspiração, para que cada um na sua ética de profissional lute pelos seus ideais.

Além disso, tivemos um Simpósio sobre morcegos em tributo a Elizabeth Kalko, uma grande bat-cientista que se foi no ano passado. Nesse simpósio tive a honra de conhecer nada menos do que Theodore Fleming e de me deparar com trabalhos muito nteressantes!

Em breve coloco mais novidades! Até Breve!


The Bonito Declaration Print E-mail
Posted 22 June 2012

Urgent Need for Continued Improvement in Environmental Conservation and Sustainable Development in Brazil

At the same time as it hosts the United Nations Earth Summit, Rio+20, Brazil is also hosting the largest ever gathering of tropical biologists. Brazil's success in advancing science and conservation, while achieving impressive economic growth and significant improvements in human welfare are being watched by the world as a potential model for environmentally sustainable development.
Brazil's international leadership is reflected in its significant investment in science and education, development of sophisticated and transparent systems for monitoring forest cover in the Amazon region, increased involvement of Indigenous Peoples in decision-making over their own lands and resources, and the expanded network of conservation areas and officially designated indigenous lands. These and other policies have led to dramatic reductions in deforestation rates in the Brazilian Amazon.
Whilst significant progress has been made, it is critical that momentum be maintained to halt the loss and degradation of Brazil's globally unique ecosystems.
Therefore, the Association for Tropical Biology and Conservation (ATBC), the world's largest organisation dedicated to the study and conservation of tropical ecosystems, bringing together at the 2012 annual meeting 607 Brazilian and 604 international scientists representing 48 nations, RESOLVED TO:
URGE INCREASED EFFORTS to protect Brazil's ecosystems from ongoing loss and degradation.
Continued reductions in deforestation and improved protection of the Amazon forest remain an urgent priority. Even where habitat clearance has declined or stopped, the synergistic impacts of unsustainable logging, unplanned agriculture, uncontrolled fires, road expansion, and extreme droughts threaten the integrity of even large areas of remaining forest.
Outside of the legal Amazon, many of Brazil's globally important ecosystems, including the Atlantic forest, cerrado, caatinga, pantanal, and pampas grasslands, as well as freshwater and marine systems, have been neglected, and have inadequate legal protection. There is a need to expand on initial land use mapping efforts in these systems to establish regular transparent monitoring efforts and make available to the public and scientists information on the loss of these ecosystems.
CALL FOR RENEWED AND CAREFUL CONSIDERATION of the impact of three new environmental policy developments:
The building of dams on tropical rivers, including the Belo Monte project and the new proposal for dams on the Tapajós River, will have severe impacts on aquatic and terrestrial ecosystems, and on the people that depend on them. Dams will also significantly increase greenhouse gas emissions at a time when efforts to curb global warming are reaching a critical juncture.
We urge investigation of and investment in less environmentally damaging forms of development and technology that meet growing energy needs while avoiding the major social and environmental impacts of large dam projects. We further urge an increase in the rigor and transparency with which scientific information is considered and utilized in the planning of all dam projects.
The demarcation and implementation of Conservation Units and Indigenous Lands would be threatened by changes in the effective process by which lands are planned and formally agreed. Lack of formal recognition and demarcation of Indigenous lands endangers both indigenous livelihoods and the provision of critical ecosystem services.
We urge careful consideration of the ultimate impacts on human wellbeing, biodiversity conservation and the provision of environmental services of any proposed legislative changes relating to protected areas.
Proposed changes to the Forest Code, if enacted, would lead to a further loss of forest and biodiversity.
We urge a reconsideration of the changes to the Code.
Each of these proposed changes to legislation imperils the international standing of Brazil as a global leader in environmental protection.
CALL FOR MORE EFFECTIVE USE of the wealth of scientific capacity and resources available in Brazil to develop evidence-based policy.
Brazil has shown both vision and leadership in investing in higher education and research, and now boasts world-class institutes and scientists in many areas of scientific endeavour. Experience in the Amazon of investing in remote sensing technologies and making data publically available has been central to setting and meeting of targets for reducing deforestation.
We urge that the same vision is extended to other ecosystems to ensure long-term environmentally sustainable stewardship. New mechanisms are needed to ensure that vital scientific information is incorporated into decision-making processes from the start.
BRAZIL CONSOLIDATES AND STRENGTHENS its position as a global leader in the conservation and sustainable development.
In the wake of the promises and commitments made at the Rio+20 summit, renewed efforts are needed to coordinate and scale-up efforts across science, public engagement and policy to protect Brazil's unique natural heritage for this and future generations.
22 June 2012, Bonito, MS, Brazil.
ATBC 

sexta-feira, 1 de junho de 2012

Vida monástico-acadêmica

Vivendo e aprendendo.

Sua vida acadêmica não é fácil?
Sua pesquisa está empacada?
Você gostaria de já ter passado dessa etapa da sua pesquisa?
Sim, essa é uma das crises da vida monástico-acadêmica.


Mas calma, você não é o único no mundo!


A vida monástico-acadêmica traz essas peculiaridades. 

Se você fez sua parte direitinho, relaxe, pois não depende mais de você. 

Aproveito para deixar um texto excelente sobre como investir em aumentar sua produtividade quando tudo mais está empacado!!


E para fechar a noite, deixo uma mensagem sobre FORÇA. Vejam essa formiga que consegue carregar um objeto 100x mais pesado do que ela (de cabeça para baixo ainda!!!):




sábado, 26 de maio de 2012

Resumo Maio e Links!

1) Maio voou..
a Dilma vetou.. 
pelo menos algumas coisas
http://g1.globo.com/politica/noticia/2012/05/presidente-dilma-vetou-12-artigos-do-novo-codigo-florestal.html

O objetivo dos cortes e mudanças no texto aprovado no Congresso, de acordo com o governo, é inviabilizar anistia a desmatadores, beneficiar o pequeno produtor e favorecer a preservação ambiental. Os vetos ainda serão analisados pelo Congresso, que tem a prerrogativa de derrubá-los.

2) Recomendo muitíssimo o programa Agora Falando Sério, da Radio ufscar.

Para quem quiser ouvir os programas passados, é só acessar: Eu e Reinaldo Teixeira participamos com entrevista no dia 3 de Maio!

http://www.radio.ufscar.br/agorafalandoserio/


3) O Prof. Milton Cezar Ribeiro deu uma entrevista para o podcast unesp, falando sobre o código florestal. Vale a pena ouvir.

http://podcast.unesp.br/radiorelease-24042012-codigo-florestal-nao-deve-ser-votado-sob-pressao-e-sem-reflexoes-cientificas-avalia-pesquisador-da-unesp

Bom final de semana a todos! E só para descontrair..



terça-feira, 15 de maio de 2012

Individualismo permeia hábitos de morcegos, revela dissertação | UNICAMP - Universidade Estadual de Campinas

Individualismo permeia hábitos de morcegos, revela dissertação | UNICAMP - Universidade Estadual de Campinas


Pessoal, essa matéria vale a pena ler hein! hehehehe..
puxando sardinha para o lado dos morcególogos, o estudo da Pati (Patrícia Rogeri) é muito interessante.
Foi o meu primeiro estágio com morcegos, no Projeto Morcegos e Frutos (Prof. Marco Mello), da UFSCar. 2009 foi um ano muito especial!
Aprendi MUUUITO nessa empreitada.. e me apaixonei pelo mundo dos morcegos e plantas.

Pati, seu trabalho ficou muito bom! é nóis!

 ( A foto do morcego fui em quem tirou! Que fique bem claro, senhor Antoninho!!)

quinta-feira, 10 de maio de 2012

quarta-feira, 2 de maio de 2012

Atropelada por Chronos


O Deus grego primordial Chronos surgiu de si mesmo, e se unindo à sua companheira (que também deve ter surgido de si mesma) Ananke (a inevitabilidade), criou o universo.
Engraçadinhamente, originalmente Chronos e Cronos são duas entidades diferentes: Chronos seria um deus e Cronos seria “apenas” um titã. O Deus teria 3 cabeças e seria realmente o tempo cronológico, já o Titã seria uma entidade que devorava seus filhos.
Se pensarmos que o tempo engole seus filhos, Chronos e Cronos podem ser a mesma coisa, certo? Então para mim, o tempo é um titã*.
Como esse blog é de umabióloga que se propõe a escrever coisas sobre a vida de umabióloga e tenho que fazer essa história fazer sentido, vamos ao que interessa:

Desde que eu me mudei para rio claro para iniciar meu mestrado estou com a mesma sensação: Atropelada por Chronos.
Hoje, mais do que nunca eu admiro a minha mãe. Ela cuidou bem demais de mim e de toda a família desde sempre, além de trabalhar 8 horas por dia. Como ela consegue?
Estou aqui em rio claro desde março e ainda não consegui estabelecer uma rotina de cuidados com a casa, comida, limpeza, mestrado, disciplinas, lazer, saúde. Simplesmente sinto que o dia acaba e eu não “tiquei” as tarefas que eu gostaria de ter “ticado”. Pilhas imaginárias de coisas, que juntamente com pilhas de roupa suja, se acumulam e me deixam completamente impotente.
Quando estou toda feliz achando que estou manjando de certo tema, olho para meu email e vejo novos artigos do mês, me dizendo, não, você não está completamente atualizada garotinha!
Quando avanço um pouquinho mais na ecologia de paisagens, vem uma dúvida completamente tosca que me trava no programa de computador. Não garotinha, não é hoje que você vai avançar o quanto gostaria.
Lógico, to curtindo essa nova fase, tive inclusive sorte de estar numa casa legal com pessoas legais e que sabem fazer arroz e feijão, mas tenho que confessar que não estou me saindo nada bem. Se alguém tiver dicas simples de como ser uma pós-graduanda e dona de casa nota 10, aceito!


*conhecedores de mitologia que me perdoem. E se quiserem me explicar melhor essa história, to aceitando, pois Wikipédia nunca deve ser suficiente!

quarta-feira, 18 de abril de 2012

dica do dia

Se você odeia estudar, não ingresse na pós-graduação. Até quem adora estudar se emputece com nossa vasta ignorância de vez em quando.
Agora, falando em pós-graduação, vocês conseguem pensar em algum professor que se encaixa no descrito a seguir? hueheuheueh..

terça-feira, 17 de abril de 2012

Ad astra per aspera: sobre as pedras no caminho



Hoje, 8h, o dia começa ensolarado e fresquinho, perfeito para um campo de seleção de áreas de cerrado ao longo das estradas da região.
Eu, mais dois colegas chegamos pontualmente, felizes e contentes. O primeiro campo de uma pesquisa é aquele dia almejado, no qual se colocam muitas expectativas.
Pegamos a estrada, papeando como papagaios e rindo.
Passamos o primeiro pedágio com o carro da universidade, mais felizes ainda por não ter que pagar pedágio hehehe..
Andamos mais alguns quilômetros quando... começou a sair fumaça dentro do carro! O carro desligou no meio da pista. “WTF”??
Campo cancelado, o carro pifou.
(é aqui que entra aquele som de fréun fréun fréun fréeeeun..).
Paramos no acostamento, chamamos o seguro e... meio-dia estávamos de volta na universidade.
Chegando aqui, eu e meu colega almoçamos e vimos que nem tudo foi em vão, conversamos a manhã inteira esperando pelo resgate do seguro e o dia foi de todo proveitoso. Nas nossas conversas relembramos que não há como fugir da ralação honestamente.
Um professor meu sempre dizia: viver é resolver problemas.
Em 23 anos, isso nunca fez tanto sentido como hoje. Não há como fugir da ralação honestamente., Não fiquei triste, nem decepcionada. Depois de muitos campos ficamos mais amortecidos a aborrecimentos logísticos. Simplesmente me resignei.


"ad astra per aspera"

quinta-feira, 12 de abril de 2012

Eadem mutata resurgo




Hoje fui na sala da professora coordenadora para pegar sua assinatura como manda a burocracia. É lógico que ficar na sala de um professor sem esperar uma interrupção na sua conversa é quase impossível. Mas isso são ossos do ofício com os quais um estudante aprende a conviver e esperamos, quase inertes, a atenção do professor voltar. Mas em alguns casos a espera, em pé, na sala de um professor nos leva à reflexão, ou calma. É claro que quando isso acontecia comigo no começo eu ficava bastante perturbada, primeiramente com o fato de ter que esperar em pé, às vezes no corredor. Esperar sentado seria muito menos desconfortável. Em segundo lugar, a falta de ter o que olhar. O que um professor universitário tem dentro de sua sala? Pilhas de papéis, um armário com ou sem fotos, no caso da minha antiga orientadora uma bandeira do Corinthians, porta-retratos, mas nada com o que você se sinta super distraído ou super a vontade de olhar, em pé.

Mas como eu disse, aprendi a conviver com a espera, a longa espera de 10 minutos na sala de um professor, a longa espera por uma autorização, a espera pelo reagente, a longa espera da bolsa.. esperas que nem são tão longas a sim, mas que de tão esperadas se tornam infinitamente maiores. Esperas por coisas que simplesmente não dependem da gente.
Sendo assim, hoje a espera na sala da professora, que teve que atender um telefonema e ao mesmo tempo estava montando uma palestra e também estava tentando assinar o papel que eu havia dado a ela, não foi longa.
Isso porque eu vi um prato. Um prato na parede. E depois vi uma xícara. O prato e a xícara tinham estampados emblemas de comemoração de décadas do curso de ecologia.
E ao redor do prato estava escrito: EADEM MUTATA RESURGO.
Fiquei imaginando o que significava isso. Esperei ela desligar o telefone e me pedir simpaticamente desculpa pela espera (ela é muito simpática), eu disse obrigada e perguntei o que significava aquela frase.
Engraçadamente ela me respondeu que um dia ela soube o que significava aquela frase. Que pena, pois aquilo estava pendurado na sala dela, bem na frente dela, diariamente.
Então ela me disse que na época da comemoração do xx anos do curso, o coordenador da época lhe explicou o que significava e ela achou muito legal. Mas hoje em dia ela não lembra mais o que significa. A vida da gente é tão corrida que esquecemos nossos próprios emblemas..
É lógico que fui atrás do significado, pois amo essas frases e lemas. E aí descobri que ela foi pronunciada por um matemático chamado Jaboc Bernoulli, um cara que inteligentíssimo que descobriu entre outras coisas, a constante e, o número de Bernoulli e coisa e tal. Ele curtia estudar equações diferenciais difícieis e leis de espirais.. Chegando ao ponto que eu queria, ele quis que na sua lápide tivesse esculpida uma espiral logarítmica e o lema Eadem mutata ressurgo, que quer dizer: “Mudado e ainda o mesmo, eu ressurjo novamente”.
O Jacob está certo.. e ele expressou muito bem esse pensamento de renovação que é muito mais antigo que ele.. Heráclito já dizia: “No mesmo rio entramos e não entramos, somos e não somos”.
Essa base de movimentos da espiral almejada na lápide de Jacob representa nossa resistência à adversidades, e ao mesmo tempo a espiral segue em frente, se renovando e se renovando.. e como dizia o Rei: é o ciclo da vida..
O engraçado disso tudo é que os pedreiros no cemitério desenharam na lápide uma espiral arquimedeana, e não a que ele queria.. Em breve posto a diferença entre as duas..
Bom dia a todos!








quarta-feira, 11 de abril de 2012

Olhe onde está pisando..

A realidade de ser biólogo-pesquisador-futuro professor.
Aparentemente as possibilidades de concurso para professores estão boas esses tempos, porém sabemos que a competição pelas vagas é bem considerável.. Olhando para a entrada de o que eu chamo de nova geração de professores nos mais diferentes centros de pesquisa, fiquei curiosa. 
Aqui na unesp Rio Claro (e não só aqui), só nos últimos dois anos, vários professores "novinhos" foram contratados, para a alegria da galera.
Fiquei olhando para aqueles professores, tão admiráveis, começando sua vida finalmente "like a boss" e pensando: po, quando eu chegarei aí?

Resolvi fazer umas continhas, olhando para o lattes de cada um deles.. tirei uma média de quantos anos após se graduarem esses professores foram finalmente contratados como professores adjuntos. A média foi quase 11 anos. 

Ou seja.. quando tiver a pretensão de ser professor de uma universidade pública, pense nesse número: 11 anos!

é lógico que tinham uns prodígios na lista, que após apenas 8 anos já foram contratados, mas no geral, é mais do que isso.. 
Se serve de consolo, não encontrei nenhum professor que demorou mais de 14 após formado para ser contratado..


E aí? Querem desistir agora?
Eu não..


Espero que gostem do blog!



Bom dia Vietnã!

Uma bióloga finalmente criou seu blog para falar de tudo. Tudo relacionado à biologia, vida de pós-graduando, crônicas e ossos do ofício de ser Bióloga e pesquisadora. Enjoy!